Colunista - Drª Selma Rocha

COMER DE 3 EM 3 HORAS PARA PERDER PESO – MITO OU VERDADE?

Por Drª Selma Rocha

14/12/2017

Quem quer perder peso e já consultou um nutricionista, nutrólogo ou endocrinoogista, provavelmente, já ouviu a máxima: para uma boa dieta é preciso comer de 3 em 3 horas. A regra, porém, ganhou o status de mito. Hoje, entende-se que fracionar as refeições é individual. O que vale para um pode não valer para o outro.

Se antes se dizia que era preciso fazer pequenas refeições ao longo do dia para manter o metabolismo acelerado, estudos recentes afirmam que a frequência com que se come pouco tem a ver com a perda de peso – o mais importante nesse caso é o que se come. O processo de digestão até acelera o metabolismo no organismo, mas é algo irrelevante, que não chega a contribuir para a perda de peso.

Muita gente chega ao meu consultório se sentindo culpada por não conseguir comer a cada 3 horas. Eu digo: respeite seu organismo. Para muitos, entretanto, essa regra é fundamental para perda e manutenção do peso, ou seja, se a pessoa for esperar a fome chegar, pode gerar uma compulsão e, na hora da refeição, vai comer demais, e isso pode acabar descontrolando a dieta. Mas, se for uma pessoa mais controlada, com percepção da quantidade de comida que deve servir, não tem problema fazer menos refeições.

Porém, não aconselho a fazer menos que 4 refeições por dia. Além do café da manhã, almoço e jantar (ou lanche noturno), eu sugiro um lanche entre as refeições, dependendo do horário da refeição principal.

Esperar a fome para muitas pessoas ansiosas pode não ser uma boa pedida. Com fome, você começa a liberar “cortisol”, que é o hormônio do stress. Além disso, ficar muitas horas sem comer pode geral hipoglicemia e a pessoa sentir tontura e tremores. Por isso, o recomendado é que cada pessoa busque um profissional e seja avaliado para ter a sua dieta adequada, pois cada caso é um caso.

 

Dra. Selma Rocha é Médica Endocrinologista titulada pela Sociedade Brasileira de Endocrinologia; pós-graduada em Nutrição esportiva; Tenente Coronel da Polícia Militar do Estado de Minas Gerais; Co-Fundadora da CASA (Centro de Apoio à Saúde e à Alimentação – Colônia de Diabéticos).